Tea_cups

Como Evitar Conflitos na Hora do Suco de Uva

Esse texto já foi lido12224 vezes!

Semana passada vivi uma situação que ilustra bem o que quero dizer quando falo em estar presente e conseguir respeitar as crianças, evitando conflitos. Estava na casa de amigos, pessoas muito queridas e pais que fazem tudo o que podem para criar seus filhos da melhor maneira possível. Esses amigos tem duas filhas de 6 e 4 anos que chamarei de Carla e Sofia respectivamente.

Meus filhos estavam brincando com Carla e Sofia no quintal da casa delas, quando Carla diz que está com sede e que quer suco de uva. Como é normal, isso gera uma reação em cadeia e, todas as crianças dizem que estão com sede e que querem suco de uva também.  Eu disse que ia buscar e fui para a cozinha. Estava com pressa para voltar para o quintal pois não queria deixa-los sozinhos.

Cheguei na cozinha, peguei o suco de uva na geladeira e perguntei para Marta, que trabalha na casa desses amigos, onde estavam os copos para eu levar para as crianças. Marta então perguntou: “Precisa ser tudo igual?”. Essa pergunta serviu como um passe de mágica para me tirar do automatismo no qual eu me encontrava. Na minha ansiedade de querer voltar logo ao quintal, eu não estava totalmente presente no que estava fazendo.

Eu disse que seria bom que os copos fossem igual, pois sei que isso poderia evitar disputas. Marta então me informou que não haviam copos iguais e veio me mostrar algumas opções. Ela trouxe dois conjuntos de copo e xícara. Um conjunto era roxo e outro branco, ambos iguais. Perguntei: “De quem é o roxo e de quem é o branco?” ao que Marta respondeu: “O roxo é da Carla e o branco da Sofia”.

Levei o suco e os copos na minha mão. Ao chegar no quintal, os quatro se aproximaram. Me abaixei, olhei nos olhos de Carla, a mais velha, coloquei a xícara e o copo roxos em sua frente e disse: “Carla, qual desses você quer emprestar e para quem?” Carla respondeu: “Quero emprestar o copo para Luna”. Dei o copo roxo para Luna e então fiz a mesma pergunta para Sofia que disse: “Quero emprestar a xícara branca para o Leo.” Perguntei se poderia servi-los e todos disseram que sim, segurando suas xícaras e copos. Beberam o suco, quiseram repetir e depois voltaram tranquilamente para suas brincadeiras.

Se você é pai, mãe ou lida com crianças sabe que essa cena tão tranquila poderia ter sido um caos. Se eu tivesse chegado com os copos e entregue para quem eu quisesse aleatoriamente, poderia ter iniciado uma onde de protestos do tipo: “Esse é meu!!!”

Segundo a Margarita Valência que me ensinou muito sobre a Educação Ativa, para que a criança aprenda a dividir, primeiro ela tem que se sentir segura de que seus objetos e seus espaços serão respeitados. Pode parecer contraditório, mas quanto mais a criança souber que não “tem que” dividir, mais ela sentirá segurança em dividir…quando assim quiser.

Outra coisa que Margarita me ensinou foi a importância da equidade e não da igualdade. Explico. Carla é a filha mais velha, portanto ela tem uma posição específica em sua família, bem como necessidades específicas. Foi por isso que me dirigi primeiro para ela. Sofia, a filha mais nova, não tem a mesma necessidade e não se sente diminuída por não ter sido a primeira a ser consultada.

Contei essa história em uma roda de pais que facilitei e uma mãe me disse que recentemente começou a usar esse princípio de equidade na sua casa e que a relação com as duas filhas melhorou muito. Vale a pena tentar.

Eu poderia ter ido a cozinha, escolhido qualquer copo, definido quem iria tomar em qual copo e pronto. Pode ser que eu economizasse 2 minutos na atividade de servir o suco, mas correria o risco de perder mais de 10 minutos apaziguando os ânimos caso as crianças não aceitassem as minhas escolhas. E, mais do que isso, teria perdido a oportunidade de tratar 4 crianças com respeito e assim, modelar para elas, atitudes que facilitam uma convivência mais harmônica entre as pessoas.

3 respostas
  1. Raquel Ornellas
    Raquel Ornellas says:

    má, foi bom ler esse texto. Tenho vivenciado situações de conflito com amigos da rebeca em casa. Acho que estou precisando de ajuda. bjs Raquel

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *