Entries by conexaopaisefilhos

Transformação na Conexão




Eu escrevi esse texto para as pessoas que participam no grupo fechado do Conexão Pais e Filhos no facebook, mas achei que pode ser do interesse de tod@s vocês que seguem o blog. Especialmente pois explica uma mudança de foco em meus interesses e meu trabalho. Como venho expondo aqui no blog, tenho direcionado minhas práticas […]






Mãe: criadora de universos




“Após oito semanas, o óvulo fecundado se transforma em embrião e depois em feto. Durante esse breve período, a célula inicial dividi-se e multiplica-se oito mil vezes por si mesma a uma velocidade constante. (…) A energia que propulsiona esse crescimento do sistema nervoso durante as primeiras oito semanas de gestação é de uma pujança […]






A Revolução dos Corações




“Não precisamos de líderes, não precisamos de heróis, não precisamos cristalizar movimentos em siglas, não precisamos de nenhum culto a personalidade, não necessitamos nenhuma hierarquia. Só necessitamos uma coisa: sugerir que as pessoas despertem e andem por sí próprias. Essa é a incrível beleza da revolução que foi iniciada. É a revolução dos corações, não […]






Mestre, os telhados estão brancos!




Escolhi a pequena passagem abaixo de Alejandro Jodorowsky para inaugurar uma nova fase do Conexão Pais e Filhos. Nessa nova fase ampliamos o significado do nome do blog para incluir, além das relações que temos com nossos filhos, as relações com nossos pais e antepassados, a relação entre o filho e os pais que habitam […]






É Proibido Chorar!: Como A Sociedade Abafa Esse Processo de Cura Natural




(Esse texto, escrito pela Marta Taquá Estela, nos mostra sua presença firme e amorosa para apoiar sua filha de quase 4 anos a extravasar emoções estagnadas. Marta utiliza essa história para questionar porque o choro incomoda tanto e como a sociedade tenta abafá-lo. Para entrar em contato com a Marta, escreva para marta_estela@yahoo.com e conheça o […]






Conexão Com a Natureza, Conexão Com Meu Filho




Há algumas semanas, comecei a me sentir distante do meu filho de 3 anos e meio. Não sei bem por quê. Eu trabalho em casa e fico com ele muitas horas por dia, mas eu não estava realmente com ele. Percebi que nossa relação parecia muito utilitária: ajudar na hora das refeições, levar para cá […]