Posts

Cachoeira da conexão

Conexão Com a Natureza, Conexão Com Meu Filho

Há algumas semanas, comecei a me sentir distante do meu filho de 3 anos e meio. Não sei bem por quê. Eu trabalho em casa e fico com ele muitas horas por dia, mas eu não estava realmente com ele. Percebi que nossa relação parecia muito utilitária: ajudar na hora das refeições, levar para cá e para lá e só. Nem banho estávamos tomando juntos. Leia mais

Chantagem não resolve

Café com Chantagem: Tirando a Liberdade dos Nossos Filhos

Hoje vou contar uma cena que observei dias atrás. Não houve nenhum incidente grave. A filha não fez birra, não houve castigo ou palmadas. Mas ainda assim a situação chamou a atenção e me deixou desconfortável.

Estava eu em um café, lendo algo no computador, quando entrou uma mãe com uma filha de aproximadamente dois anos. A menina ficou em pé no banco e começou a mexer em algo em cima da mesa. A mãe disse, num tom carinhoso: “Vamos sentar flor, com o pezinho para baixo, que nem a mamãe. Quando você sentar eu pego o que você estava mexendo e coloco aí para você.” Ela pega o objeto com o qual a criança brincava, mas decide dar outra coisa para ela, sem nenhuma explicação. Leia mais

Brincar e Confiar: Como Meu Filho Adormeceu Sozinho

Ontem minha esposa foi fazer um curso das 18:30 às 22:30 e avisou para as crianças dizendo que, quando chegasse, elas já estariam dormindo. Aqui em casa, ela é quem fica com as crianças na hora de dormir. Eu fico um pouco e saio do quarto, enquanto ela ainda canta algumas músicas ou simplesmente fica deitada.

As 18:00 ela se despediu e saiu. Parecia que não queria sair. Ficou me dando dicas do que fazer para o jantar. Quando a porta fechou eu pensei: vou aproveitar para ficar uma hora fazendo aquilo que chamamos de brincar-escutando. (Para conhecer mais sobre o brincar-escutando e outros princípios do brincar, baixe o ebook gratuito sobre brincar) Leia mais

Crianças brincando absorvidas. Em "flow"

Filhos em “Flow”: Favor Não Interromper!

(Escrevi esse texto há alguns meses, mas acho que ilustra bem o que acontece quando nós estamos ansiosos e assim interrompemos o fluxo de atividade dos nossos filhos, também conhecido como “flow”. “Flow”, segundo Mihaly Csikszentmihalyi, psicólogo húngaro, é o estado mental no qual uma pessoa se encontra quando está imersa em uma atividade, sentindo-se energizada, focada, totalmente envolvida de forma prazerosa.  Vivemos em um mundo que privilegia a distração. É muito difícil manter o “flow” por mais de alguns minutos, ou segundos. Acredito que nós, adultos, não deveríamos piorar essa situação. Você já se pegou interrompendo a concentração dos seus filhos? Quando você consegue entrar em “flow”? Você já foi interrompida(o) durante um estado de “flow”? O que sentiu? Comente ao final do texto.) Leia mais

Tea_cups

Como Evitar Conflitos na Hora do Suco de Uva

Semana passada vivi uma situação que ilustra bem o que quero dizer quando falo em estar presente e conseguir respeitar as crianças, evitando conflitos. Estava na casa de amigos, pessoas muito queridas e pais que fazem tudo o que podem para criar seus filhos da melhor maneira possível. Esses amigos tem duas filhas de 6 e 4 anos que chamarei de Carla e Sofia respectivamente.

Meus filhos estavam brincando com Carla e Sofia no quintal da casa delas, quando Carla diz que está com sede e que quer suco de uva. Como é normal, isso gera uma reação em cadeia e, todas as crianças dizem que estão com sede e que querem suco de uva também.  Eu disse que ia buscar e fui para a cozinha. Estava com pressa para voltar para o quintal pois não queria deixa-los sozinhos. Leia mais

Dê Presença e não Presentes

Entre um carrinho novo ou sua atenção por 30 minutos ininterruptos, seu filho prefere sua atenção.

Entre uma boneca e uma boa brincadeira de pega-pega, sua filha prefere a brincadeira.

O brinquedo novo pode até gerar um sorriso e um grito de alegria. Pode até lhe render um abraço e um beijo. Mas isso tem curta duração. Lembra que você ficou super empolgado quando comprou o celular mais moderno e uma semana depois já o tratava como uma coisa normal? É a mesma coisa.

Sua presença abre as portas para um encontro verdadeiro com seus filhos. Leia mais

“Sai daqui Pai! Eu quero a mamãe!”

(Esse texto demora uns 7 minutos para ser lido, pois descrevi em detalhes a situação que aconteceu hoje aqui em casa. O texto fala sobre a importância de se colocar limite com gentileza. Fala sobre desconexão e conexão. Sobre cansaço e energia para estar com as crianças e termina com uma reflexão sobre a dificuldade da maioria dos pais e mães para terem espaço temporal e mental para ajudar os filhos a lidarem com seus sentimentos.) Leia mais